« Voltar

Operação “Varredura” é iniciada do Estabelecimento Penal em Campo Grande

 

 

Campo Grande (MS) – O Comando Militar do Oeste (CMO) iniciou, na manhã de 15 de fevereiro, em articulação com o Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, a Operação “Varredura” no Estabelecimento Penal de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho, localizado em Campo Grande (MS), em cumprimento ao Decreto Presidencial de 17 de janeiro, que autoriza o emprego das Forças Armadas para a garantia da lei e da ordem no Sistema Penitenciário Brasileiro.

 

 

 


A operação atende à solicitação do Governo do Estado e tem por finalidade salvaguardar os interesses regionais e nacionais, mantendo uma situação de paz, tranquilidade e normalidade no âmbito da sociedade sul-mato-grossense.

 


Com um efetivo de cerca de 500 militares, o Exército Brasileiro cumprirá a missão específica de realizar vistorias para detecção e apreensão de armas, aparelhos de telefonia móvel, drogas e outros materiais ilícitos ou proibidos, contribuindo para o restabelecimento da ordem pública no presídio, sem travar contato com os detentos.

 


Juntamente com os militares do Exército, estarão envolvidos, nesta operação, integrantes dos Batalhões de Choque, de Operações Especiais e de Trânsito da Polícia Militar (PMMS), da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (AGEPEN), do Corpo de Bombeiros Militar (CBMMS), da Advocacia-Geral da União (AGU) e do Ministério Público (MP), num total de 350 agentes.

 


Essa operação conta, ainda, com um maciço suporte tecnológico proporcionado pelos meios do Projeto SISFRON (Sistema de Monitoramento de Fronteiras) existentes no CMO. Os meios vão desde viaturas de Comando e Controle, com acesso à internet e ligação rádio com os militares que executam as vistorias, passando por aeronaves (helicópteros) com transmissão direta de vídeo (Sistema Olho da Águia) e sistema de transmissão de vídeo individual por rádio (TVP), com o qual cada militar que realiza a vistoria no presídio gera imagens, em tempo real, para os terminais das viaturas de Comando e Controle.

 


O emprego da tecnologia nesse tipo de operação confere uma melhor consciência situacional (percepção da realidade) das ações, proporcionando, ao Comando, subsídios atualizados à decisão e à capacidade de intervenção imediata, além de conferir ainda mais lisura às ações desenvolvidas.

 


Serão empregados nas vistorias, também, cães farejadores, aparelhos tipo scanner, detectores de metal, drones e uma gama de equipamentos de dotação do Exército e da Polícia Militar, de modo que a operação interagências possa conduzir ao bom cumprimento da missão, em prol da paz social do povo sul-mato-grossense.

Fonte:CMO
Publicado:16/02/17 17:40