Resenha

Retornar para página inteira
Contrato de compra de caça sueco será assinado este mês
02 out 2014

Por Virgínia Silveira | De São José dos Campos (SP)

 

O governo brasileiro pretende assinar até o dia 24 deste mês o contrato de aquisição dos caças supersônicos Gripen NG, produzidos pela empresa sueca Saab. O acordo prevê a compra de 36 aeronaves no valor estimado de USS 4,5 bilhões. "As negociações entre a FAB [Força Aérea Brasileira] e a Saab estão em fase bastante adiantada e o objetivo, caso não haja nenhum contratempo, é que até esta data o contrato possa ser assinado", informou uma fonte da área de defesa.

Antes disso, porém, até meados de outubro, segundo o Valor apurou, deverão ser assinados os acordos de cooperação industrial e de transferência de tecnologia com as principais fornecedoras e parceiras do programa de desenvolvimento do Gripen no Brasil.

A assessoria do Ministério da Defesa disse não ter informação sobre a data de assinatura do contrato com a Saab. Na próxima segunda, a empresa sueca participará de mais uma reunião com a Defesa e representantes da FAB que coordenam as negociações.

Segundo o ministério, desde agosto as partes têm trabalhado nas definições do projeto. A lista de empresas parceiras do desenvolvimento do caça sueco no Brasil inclui a Embraer e sua controlada Atech, a Mectron, do grupo Odebrecht Defesa e Tecnologia, a Inbra Aerospace, Akaer, Ael Sistemas e as unidades da Selex e GE no Brasil.

A Embraer já havia assinado, em julho, um memorando de entendimento com a Saab para assegurar a sua posição de liderança no projeto. A empresa informou que qualquer acordo com a Saab depende do contrato do projeto F-X2, a ser assinado entre a Saab e a FAB.

A participação da empresa no programa F-X2 inclui a coordenação das atividades de produção e entrega das versões monoposto e biposto do Gripen, assim como o desenvolvimento de sistemas, integração, testes em voo, montagem final e entregas.

A Embraer também estuda parceria com a Saab para a promoção e comercialização global do Gripen NG. O pacote de compensação tecnológica e industrial oferecido pela Saab para o F-X2 prevê que 40% do Gripen e 80% de sua estrutura sejam produzidos no Brasil.

A Saab também se comprometeu a investir US$ 150 milhões na construção de uma fábrica de aeroestruturas em São Bernardo do Campo (SP). A Inbra Aerospace será sócia majoritária (60%) da nova empresa, que deve estar pronta no fim de 2015. A Akaer foi a primeira empresa contratada pela Saab para trabalhar no programa do Gripen NG, na parte de fuselagem, asas e portas principais do trem de aterrissagem. A Inbra Aerospace ficou com produção de partes estruturais em material composto.