Operações e Exercícios

Missão do Comando de Operações Terrestres:

"Orientar e coordenar o preparo e o emprego da Força, em conformidade com as políticas e diretrizes estratégicas do Exército ."

Acesse a página do COTER.

 

Histórico do COTER

 

O Comando de Operações Terrestres foi criado pelo decreto nº 99.699, de 06 de novembro de 1990. Suas instalações foram inauguradas em 07 de janeiro de 1991, no Quartel-General do Exército, sediado em Brasília/DF. Teve como seu primeiro Comandante o General-de-Exército Antônio Luiz Rocha VENEU.

Inicialmente, o COTER absorveu atribuições inerentes ao Preparo e ao Emprego da Força Terrestre. Porém, profundas modificações se processaram nos contextos nacional e internacional, fazendo com que este Órgão de Direção Setorial se adequasse, da melhor forma possível, às novas necessidades da Defesa da Pátria.

Nessa abrangente missão, coube-lhe a responsabilidade pela expedição de diretrizes e orientações que tratam do Planejamento Operacional e da Instrução Militar, visando ao emprego da Força Terrestre na Garantia da Lei e da Ordem, em Ações Complementares e em Operações Internacionais de Manutenção da Paz.

Compete ainda ao COTER, como órgão central do sistema operacional:

- no campo do preparo, a participação na evolução doutrinária e na avaliação das nossas OM operacionais; o gerenciamento do Sistema de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do Exército – SIPAAerEx; a responsabilidade de gerenciar o Centro de Preparação e Avaliação para Missões de Paz do Exército – CEPAEB (órgão responsável pela preparação de militares designados para missão de paz no exterior); e o desenvolvimento e a aplicação dos exercícios de simulação de combate, valioso instrumento de aprimoramento técnico-profissional de nossos quadros;

- no campo do emprego, a avaliação dos planos operacionais elaborados pelos Comandos Militares de Área, ajustados aos novos cenários da Nação, visando propiciar um sistema de planejamento de emprego de nossas forças nas diversas e sensíveis missões de Garantia da Lei e da Ordem, de Apoio ao Desenvolvimento Nacional e de Apoio à Defesa Civil; e a participação efetiva no desenvolvimento do Sistema de Análise de Imagens do Exército; e

- a missão de preparação e de emprego de tropas brasileiras no exterior, de operação e de funcionamento do Centro de Comando e Controle da Força Terrestre e de inspeção das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares Estaduais, no que diz respeito à organização, articulação, aos efetivos, ao armamento, à munição e ao planejamento de emprego das Forças Auxiliares.

A 14 de março de 1991, foi aprovado o Distintivo da Unidade, com a descrição heráldica definida pela Portaria Ministerial nº 149. A 13 de setembro de 1993, foi concedido ao COTER o Estandarte Histórico, pela Portaria Ministerial nº 489, de 03 de setembro de 1993; e no dia 30 de maio de 2001, foi realizada no STM, a solenidade de entrega da condecoração ao Estandarte do Comando de Operações Terrestres com a insígnia da Ordem do Mérito Judiciário Militar.

A partir de 01 de janeiro de 2003, o COTER passou a ter autonomia administrativa, antes vinculada ao Estado-Maior do Exército, que lhe foi concedida por meio da Portaria nº 286-Cmt Ex, de 25 de junho de 2002.