Patronos

 MARECHAL TROMPOWSKI

Natural da Província de Santa Catarina, nasceu na cidade do Desterro, atual Florianópolis, a 8 de fevereiro de 1853, o Marechal Roberto Trompowski Leitão de Almeida. Em sua terra natal, fez os cursos preliminares, indo para a Corte com seus genitores.

Estudioso, foi bem sucedido e em virtude de seu sólido preparo intelectual e de seu pendor para o magistério, foi nomeado repetidor da 1ª cadeira do 1º ano do Curso Superior da Escola militar em que brilhara como aluno. Seus excelentes dotes vocacionais fizeram-no apreciado mestre a quem os discípulos se compraziam de ouvir as eloquentes preleções.

O cioso militar além de se envolver em inúmeros projetos onde dedicava-se aos estudos ininterruptos da matemática, ciência que mais o empolgava à medida que nela progredia.

Em 4 de fevereiro de 1894, assumiu o Comando interino do Colégio Militar do Rio de Janeiro. Em seguida, foi colocado à disposição do ministro da Viação, para estudar a aquisição de material ferroviário.

A 7 de outubro, reassumia suas funções de professor, na Praia Vermelha, cumulativamente com as de comandante do Corpo de Alunos, emprestando-lhes notável domínio da cultura e o desassombro exemplar de sua inflexível disciplina.

Embora interinamente, o coronel Trompowski, sábio professor, reconhecido pelos seus talentos no mundo inteiro, ocuparia o alto cargo de comandante da Escola Militar da Praia Vermelha.

O barão de Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores, o indicou para adido militar às delegações brasileiras na Grã-Bretanha, Suíça e Itália.

Mais tarde, iria patentear, em terra alheia, aqueles sempre aplaudidos méritos pessoais e suas excelentes virtudes cívicas, como delegado técnico, assessorando o magno Rui Barbosa, em Haia, na Conferência Internacional da Paz

Ainda na Europa, estudou os progressos do ensino tático e técnico para aplicá-los nos estabelecimentos militares brasileiros.

Evidenciando, ainda, dinamismo e desmedido interesse pelas causas do magistério e pela instituição armada a que pertencia, a 8 de fevereiro de 1919, foi reformado, pela lei da compulsória, no posto máximo da hierarquia militar - marechal.

Afastado do seio do Exército, onde vivera durante perto de cinqüenta anos, teve o seu nome enaltecido como um dos maiores matemáticos. A 2 de agosto de 1926, com 73 anos de idade, entre a dor dos familiares e reconhecimento dos que se acostumaram com suas magníficas obras, adotadas nos melhores centros universitários da Europa e do Novo Continente, cerrou os olhos para o sono profundo e eterno.

É, hoje, Patrono do Magistério do Exército; Patrono da Associação de Professores Militares do País; há uma medalha com seu ilustre nome; há uma rua no bairro da Tijuca com igual denominação; e uma Escola primária, das maiores do Estado do Rio de Janeiro, o tem como Patrono: Escola Marechal Trompowski.