Serviço de Assistência Religiosa

 

O Serviço de Assistência Religiosa (SAREx) é formado por ministros das religiões católica e evangélica. Os padres e pastores integram o Quadro de Capelães Militares, após um estágio de adaptação iniciado na Escola de Administração do Exército e concluído em diversas organizações militares. Iniciando a carreira como 2º tenente, podem atingir até o posto de coronel.

Muito já se filosofou sobre a existência humana. Vários pensadores especularam exaustivamente diante da inquietadora indagação: "Que podemos esperar da vida?". A capacidade de pensar e conceber o próprio futuro dá ao homem características que o distinguem como criação divina. Idéias e ações é que constroem uma sociedade civilizada. Imaginação e fé, por outro lado, fazem as pessoas acreditarem em que o sentido de viver transcende o concreto, o materialismo. E, embora a humanidade não seja capaz de compreender o tempo cosmológico, que é o tempo de Deus, o eterno, o infinito, pelo menos pode intuir a presença do Santo Criador e viver o tempo humano, o tempo histórico, o tempo finito.

Os soldados precisam muito de Deus. Difícil é a vida daquele que tem como ofício a guerra, fazendo-a ou evitando-a. Às vezes, as tropas precisam reordenar situações de caos, restabelecer a civilização, pôr fim às divergências e aos ressentimentos. Uma árdua tarefa, como se pode notar. Algo que exige força descomunal, uma palavra consoladora que vem da religião.

As tropas brasileiras contaram, quase sempre, com assistência religiosa. No Império, funcionava a Repartição Eclesiástica do Exército, que teve seus serviços paralisados por décadas com o advento da República. Viria a ser restabelecida, no entanto, quando, sob os efeitos da II Guerra Mundial, o País organizou a Força Expedicionária Brasileira para combater na Europa.

Hoje, no Brasil, há um Ordinariato Militar. Uma verdadeira diocese, com seu bispo, sua catedral, seu seminário, seu clero, sua cúria, suas pastorais. Existe um acordo firmado entre a Santa Sé e o governo brasileiro, que regula o funcionamento da Arquidiocese Militar do Brasil no âmbito das Forças Armadas e Forças Auxiliares, sediada em Brasília.

Graças ao trabalho dos capelães militares, as tropas podem contar, em todas as circunstâncias, com a assistência espiritual tão necessária para o entendimento da existência humana e para a crença em uma vida futura junto a Deus.

O patrono do Serviço de Assistência Religiosa do Exército é o Frei Orlando.