Missões de Paz

Força Armada Interamericana (FAIBRÁS)

A Força Interamericana de Paz (FIP) foi estabelecida por resolução da Organização dos Estados Americanos (OEA), de 6 de maio de 1965, para colaborar na restauração da normalidade na República Dominicana. O País encontrava-se abalado pela instalação de quase completo caos social. No cumprimento de seu mandato, a FIP deveria garantir a segurança dos habitantes, a inviolabilidade dos direitos humanos e estabelecer um clima de paz e conciliação, que permitissem o funcionamento das instituições democráticas.

Para atender a resolução da OEA, o Brasil organizou o Destacamento Brasileiro da Força Armada Interamericana (FAIBRÁS), com um Batalhão do Exército e um Grupamento de Fuzileiros Navais.

A 29 de maio, o General-de-Exército Hugo Panasco Alvim assumiu o Comando Unificado da FIP. A estrutura da missão era a seguinte:

A Brigada Latino-Americana enquadrou os contingentes da América Latina. Era comandada pelo Coronel Carlos de Meira Mattos, por designação da FIP. Subordinados operacionalmente à Brigada estavam o Batalhão do Exército Brasileiro e o Batalhão Fraternidade, organizado como se segue:

Durante um ano e quatro meses, o FAIBRÁS executou suas atribuições na República Dominicana, contando com um contingente de cerca de 1.200 homens, que sofreu três revezamentos.