Curare I

Seja bem-vindo!

Em abril de 2010, a 8ª Região Militar / 8ª Divisão de Exército, Região Forte do Presépio, em conjunto com as tropas da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira realizou a Operação Curare I – 2010 nos estados do Pará e Amapá, regiões de fronteira com a Guiana, Suriname e Guiana Francesa. Nessa oportunidade o Exército Brasileiro cumpriu seu dever legal previsto na Constituição Federal e nas Leis Complementares 97/1999 e 117/2004.

Normalmente as operações militares recebem denominações com termos típicos da região. Neste caso, o vocábulo “curare” faz referência a compostos químicos orgânicos conhecidos como venenos de flecha, extraídos da casca de certos cipós de plantas encontradas na América do Sul. Possuem intensa e letal ação paralisante, embora sejam utilizados medicinalmente como relaxante muscular ou anestésico.

A Operação Curare I – 2010 teve a finalidade de intensificar a presença das Forças Armadas junto à faixa de fronteira norte, reprimindo os delitos transfronteiriços e ambientais além de reforçar, junto à população regional, o sentimento de nacionalismo e de defesa da Pátria.

Durante a operação foi intensificada a vigilância na faixa de fronteira nos estados do Pará e Amapá, por meio de patrulhamentos terrestres e fluviais. Também foram estabelecidos postos de bloqueio na calha dos rios para a realização de revistas em embarcações. A área de atuação compreendeu a faixa de fronteira que  ia do Cabo Orange/AP até o município de Oriximiná/PA, incluindo o mar territorial e as águas interiores.

Participaram da operação cerca de 500 militares, oriundos dos Estados do Pará, Amapá e Goiás, que realizaram ações táticas como patrulhas a pé, aeromóveis e fluviais, operações especiais, assim como atividades logísticas e de comunicações.

A Operação Curare I – 2010 contou com o apoio de órgãos de segurança, como a Polícia Federal, ABIN, IBAMA, Receita Federal, FUNAI e FUNASA. Esse suporte proporcionou mais eficiência e rapidez nas ações de repressão, fiscalização e apoio à população.

Concomitante às ações de patrulhamento e fiscalização, foram desenvolvidas ações de caráter Cívico-Social, como atendimento médico e odontológico, a apresentação de banda de música militar, entre outras. Tais atividades visaram proporcionar melhores condições de vida aos cidadãos residentes naquelas localidades.